sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

uma resposta

como se já não bastasse tudo ser bom,
fica melhor e você sabe que vai ficar mais

é um processo.

aprendizagem que dá prazer
porque maiorifica.

é uma boa!

dois mil e oito é um ano par e já não se confia nesses anos mais desde muito tempo.
mas dessa vez arrisca-se, jogue os braços no ar azul neblom do lugar que abraça

seja bom pra todo mundo assim em todos os aspectos vidantes.


meus braços envoltos no corpo docês todos

e um beijo especial a pequena clarice, querida minha!
um livro prazerótico-poético em minha vida.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

"domingus deprimentis"

qualé do domingo?
ele chega com aquele amanhecer típico:
corrida de fórmula um, jornal grosso de tanto caderno...
que seja.
ele chega já bem idiota.
depois tem um almoço até que agradável.
dái tem aquele depois-do-almoço-de-domingo, um filme, uma soneca...
quando acorda você e tá aquele cinza medonho, aquele anoitecer com voz de faustão,
aquele climão deprimente...

cuidado!

daí, você ou se mata ou toma um banho ou vai a um cinema ou lê um livro ou toca algum instrumento ou fica no msn(!!).
se fode de qualquer forma, pois tudo que você fizer vai ter aquele gosto de domingo.
mais difícil do que leite azedo com nata pra se engolir!

é.
acho que domingão esse,
veja só,
fiquei algo melancólico!

que bom que hoje é segunda-feira!
ahá!

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

voan do in dovan

vou ali voar um pouco

abrir o baú da pedra

e descobrir

dentre sorrisos

e

palpitações

a intensidade

desse meu

universo

do

nosso!




só precisasazabrir,
só sim se só

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

quando se vive

quando se vir


se dispostivé
e coragi


vai como
se cada dia fosse o
sétimo pulo
na cama
elástica

quando se vive!

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

fome de tudo

estive ouvindo o novo disco do nação zumbi, excelente.
ainda acho o "futura" melhor.
mas é sempre nação, né!

-----------------------------------------------------------

a vida vem de pressa
em forma de brisa leve que refresca
o corpo
e enche um copo de sensações novas
une
faz amar

----------------------------------------------------------

brasil sede da copa!!
ahahaha
merda de país!
é só política do pão e circo mesmo!
sem pão, na verdade.

----------------------------------------------------------

veja os bons filmes!

= )

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

a casa de minha vó

Aqui na rua tem uma locadora em frente da casa de minha avó. Descendo a calçada chega-se a padaria. Subindo tem uma farmácia e o Bar do Marciano na esquina. É uma rua tranqüila, apesar de movimentada. As motos e mobiletes são mais que os carros. As casas são antigas, grandes e aconchegantes. Todas têm uma área na frente, com cadeiras coloridas. Fim de tarde todos papeiam com vizinhos e amigos em suas áreas. Acho bonito.

Hoje bem de manhã fui dar uma volta, andei até a praça. Muito florida. Lá refleti um pouco, convidando a paz a caminhar dentro de meu corpo. Um menino me interrompeu o processo. Sentou ao meu lado e começou a reclamar do homem que limpava a praça. Tinha uns argumentos bons, interessantes. Simpatizei um pouco com ele. Resolvi, então, conversar um tico.
É engraçado o universo das crianças e elas o relatam com pureza. Me diverti por algum tempo com o guri. Depois fui embora. Voltei a rua.

Na casa existe um quintal grande com trepadeiras. Mas elas não tem onde trepar, se recolhem ao chão. As flores brotam dali. Acho gostoso de olhar. Chove um pouco agora. Refresca o ar. Esse cheiro de terra molhada me remete a infância ali naquela cidade. Ando um pouco pela chuva. Sinto vida! Paro, abro os braços e inclino a cabeça pra cima. As gotas me acolhem, me saboreiam.
Fazem-me sorrir grande.

Sou inteiro por um momento!

domingo, 14 de outubro de 2007

Sim

Sim, sei bem
Que nunca serei alguém.
Sei de sobra
Que nunca terei uma obra.
Sei, enfim,
Que nunca saberei de mim.
Sim, mas agora,
Enquanto dura esta hora,
Este luar, estes ramos,
Esta paz em que estamos,
Deixem-me crer
O que nunca poderei ser.

Ricardo Reis

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

nesses dias...

nesses dias em que sentimos frio e calor ao mesmo tempo, as coisas parecem mais fantásticas.
os nossos sentimentos se destacam no contraste do clima.
o cinza da tarde é triste, faz pensar, deixa-nos saudades, paralisa o olhar.
o calor da manhã nos traz vida, disposição e alegria plena.
acho melhor assim!
gosto das coisas definidas aqui dentro, da mesma forma que do lado de fora.

sou inteiro vida!

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

entrevinasis

presente que você nem sabe quando vai receber, mas quando vem, ah quando vem...!!
vem, menina me viver me ver te ser tão ...

obrigado, obrigado, obrigado!


caralhada de surras macias de toalha de pano e de mais coisa...

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

ivanices

como se fosse assim fácil de escrever.
os crimes que cometemos nas penúrias.
as injúrias que tais quais ventania nos fogem e depois
nos fincam.
como se a saudade fosse frevo e não existisse instrutor para se ensinar a dança.
o ritmo é outro. é o não-ritmo.
é uma espera por aquilo que já veio.
é uma volta que já se fez.
as árvores crescem no jardim, mas sufocam as pequenas plantas.
tudo queima lento como gelo.

estremece um sorriso.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

razão não-razão

A razão para tudo ser assim é desnecessário conhecer.
Pois é na não-razão que as coisas plenas moram.
É nela que encontramos os rumos desarrumados, as vidas intensas.
É sentir o vento no rosto, tomar chuva, correr, gritar, amar...
Assim! Eu creio assim. De uma forma imensa.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

maiakóvski

nossa marcha

Troa na praça o tumulto!
Altivos píncaros – testas!
Águas de um povo dilúvio
lavando os confins da terra.

Touro mouro dos meus dias.
Lenta carreta dos anos.
Deus? Adeus. Uma corrida.
Coração? Tambor rufando.

Que metal será mais santo?
Balas-vespas nos atingem?
Nosso arsenal é o canto.
Metal? São timbres que tinem.

Desdobra o lençol dos dias
cama verde, campo escampo.
Arco-íris arcoirisa
o corcel veloz do tempo.

O céu tem tédio de estrelas!
Sem ele, tecemos hinos.
Ursa-Maior, anda, ordena
para nós um céu de vivos.

Bebe e celebra! Desata
nas veias a primavera!
Coração, bate a combate!
O peito – bronze de guerra.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

"I follow the sun"

a vida parece ter atingido uma suavidade inexplicável.
vou pro meio do mato, ouvir beatles, ver estrelas.
talvez uma delas pingue em mim.
aí o universo se transforma em você!

sabe quando o sorriso escapa fácil e você segue o sol como se o fim fosse uma continuação?

pois é.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

"preciso rever seu sorriso um tanto sem graça" *

tem gente que nasce e vai, tem uma missão aí bonita na vida.
agora tem gente que (pela mãe do guarda!) poderia aguardar uns bons anos pra nascer e depois desistir.
vou te falar, viu, tem cada vidinha besta que você até duvida da própria existência e quer ler kafka.
tem vezes que dá vontade de se jogar de uma vez no mar e lá do fundo dar tchau pra quem te espera na areia.
como tem vezes em que se tem vontade de voltar pra praia e fazer um castelo.


o título não tem nada ver, ou tem, com o post.


*a frase-título é de odair josé.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

impressão

é impressão minha ou o joão doria jr. é um dos maiores puxa-sacos em atividade no país?

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

versos distintos

1.
hoje eu ouvi
que a canção
que
nos unia
não cansava de tocar
e
eu quis ligar pra rádio
pra
todas as estações
e baixar decreto
pra nunca
mais
deixar cantar

2.
rói todas as paredes
do lugar
criva a palavra
como castor selvagem que fala.
Sente.

-------------------------------------------------------------------------------------------

eu tô achando que a vida tá começando a ficar meio diferente.
mas isso não importa, porque talvez nem fique.
coraggio, charlie brown!

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

fellini 8 1/2

Hoje passei uma tarde muito agradável assistindo Fellini 8 1/2, uma obra-prima.
Há muito eu queria assistir esse filme. Foi bom ter aguardado, vi na hora certa.
A história é uma espécia de autobiografia do diretor, mas de uma maneira surreal misturada com o real. Marcello Mastroianni representa o diretor, sem saber o que fazer com o filme, enquanto a produção anda a toda e o elenco o enche de perguntas. É uma amostra das dificuldades em ser diretor. Uma poesia, uma reflexão.
E tem Claudia Cardinale, uma das atrizes mais belas da história do cinema. Massageia os olhos vê-la!
Confiram.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Sabe quando se vive de música?

Esse negócio de existirem blogs que disponibilizam CDs inteiros para baixar é uma das grandes maravilhas da internet. Passo madrugadas baixando discos raros, de artistas que eu não conheço, de bandas que conheço. Música nova todo dia!
Aí o cara vai lá, coloca um livro, de repente um filme, faz uma coisinha engraçada pra câmara e põe no youtube. As pessoas não saem mais de casa não e a tendência é sair cada vez menos. Mas isso é papo velho.
O que eu queria falar mesmo é que blogs que possuem discos inteiros pelo preço de um clique são sensacionais!

começou a gincana

Olá!
Aqui começa um cenário de críticas, idéias, poesias, crônicas, inutilezas, tergisversações, futebol, ping pong, cinema, palavras soltas...
Não prometo uma constante atualização, mas promessas atualizadas constanto.
Um abraço e bem vindos!