sexta-feira, 19 de outubro de 2007

a casa de minha vó

Aqui na rua tem uma locadora em frente da casa de minha avó. Descendo a calçada chega-se a padaria. Subindo tem uma farmácia e o Bar do Marciano na esquina. É uma rua tranqüila, apesar de movimentada. As motos e mobiletes são mais que os carros. As casas são antigas, grandes e aconchegantes. Todas têm uma área na frente, com cadeiras coloridas. Fim de tarde todos papeiam com vizinhos e amigos em suas áreas. Acho bonito.

Hoje bem de manhã fui dar uma volta, andei até a praça. Muito florida. Lá refleti um pouco, convidando a paz a caminhar dentro de meu corpo. Um menino me interrompeu o processo. Sentou ao meu lado e começou a reclamar do homem que limpava a praça. Tinha uns argumentos bons, interessantes. Simpatizei um pouco com ele. Resolvi, então, conversar um tico.
É engraçado o universo das crianças e elas o relatam com pureza. Me diverti por algum tempo com o guri. Depois fui embora. Voltei a rua.

Na casa existe um quintal grande com trepadeiras. Mas elas não tem onde trepar, se recolhem ao chão. As flores brotam dali. Acho gostoso de olhar. Chove um pouco agora. Refresca o ar. Esse cheiro de terra molhada me remete a infância ali naquela cidade. Ando um pouco pela chuva. Sinto vida! Paro, abro os braços e inclino a cabeça pra cima. As gotas me acolhem, me saboreiam.
Fazem-me sorrir grande.

Sou inteiro por um momento!

domingo, 14 de outubro de 2007

Sim

Sim, sei bem
Que nunca serei alguém.
Sei de sobra
Que nunca terei uma obra.
Sei, enfim,
Que nunca saberei de mim.
Sim, mas agora,
Enquanto dura esta hora,
Este luar, estes ramos,
Esta paz em que estamos,
Deixem-me crer
O que nunca poderei ser.

Ricardo Reis

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

nesses dias...

nesses dias em que sentimos frio e calor ao mesmo tempo, as coisas parecem mais fantásticas.
os nossos sentimentos se destacam no contraste do clima.
o cinza da tarde é triste, faz pensar, deixa-nos saudades, paralisa o olhar.
o calor da manhã nos traz vida, disposição e alegria plena.
acho melhor assim!
gosto das coisas definidas aqui dentro, da mesma forma que do lado de fora.

sou inteiro vida!